Já que o post inaugural da série falava sobre as relações destrutivas de A Rede Social, nada melhor do que equilibrar com as relações destrutivas-às-vezes-mas-amorosas-em-geral do filme que todo mundo vê (ou deveria ver) todo Natal, certo?

Certo. A cena aqui é o momento em que Jamie volta pra casa com o objetivo de ver se a namorada melhorou e encontra seu irmão na sala, sem suspeitar que ele e a moça estão prestes a cometer o ato físico do amor. O lance segue assim (tradução minha, vocês podem assistir aqui se quiserem (entre 0:47 e 1:14)):

– Olá. O que diabos você está fazendo aqui?
– Eu só–só dei uma passada pra pegar uns CDs velhos emprestados.
– A mulher da casa te deixou entrar, certo?
– Sim.
– Ótimo. Garota solícita. Esse é bom (mostrando um CD).
– Sim.
– Eu só pensei em dar uma passada aqui antes da recepção pra ver se ela melhorou. Escuta, eu estava pensando. Acho que devíamos levar a mamãe pra jantar no aniversário dela na sexta. O que você acha? Eu sinto que fomos filhos meio ausentes esse ano.
– Ok. Pode ser. Parece meio chato, mas tudo bem.
– (voz feminina fora do quadro) Se apresse garotão! Estou pelada e quero você pelo menos duas vezes antes do Jamie chegar em casa!

Ou seja, em menos de um minuto o filme consegue:

  1. Informar de um jeito orgânico que é o irmão de Jamie quem está presente ali (qualquer roteirista preguiçoso colocaria algo do tipo “ei o que meu irmão mais novo está fazendo aqui?“).
  2. Mostrar a naturalidade e a dinâmica entre os irmãos, sugerindo que eles são próximos (Jamie nem questiona a presença do outro e até sugere um CD, como se indicações fossem algo corriqueiro entre eles), o que torna a traição ainda mais impactante.
  3. Caracterizar Jamie como uma pessoa sensível e empática, pois parte dele a preocupação com a mãe (ao passo que o irmão parece achar um fardo). É importante porque mais tarde essas características do personagem, já estabelecidas pelo filme, vão reforçar a conexão com Aurelia.
  4. Informar o espectador de que, óbvio, Jamie descobriu que sua namorada estava traindo ele com o irmão.
  5. Entreter e divertir.

É por isso que bons roteiristas fazem a diferença. E não esqueça: estamos em dezembro, até o dia 31 é obrigatório ver Simplesmente Amor pelo menos uma vez.