– Olá.
– Quem é?
– É o seu histórico de navegação.
– Ah. Que merda.
– A propósito, “merda” foi o termo que você mais buscou ontem.
– Sim e você pode colocar isso na conta de um croquete que comi na rodoviária.
– Precisamos conversar.
– Não precisamos não.
– O que exatamente você estava pensando quand–
– Psst. Aqui não. Deixa eu ir até o banheiro da firma antes.
– Por falar nisso, você está pensando em remodelar o banheiro de casa? Andou vendo muitos sites com projetos novos.
– Novamente o croquete da rodoviária.
– Entendi. Bem, eu queria falar sobr–
– Eu sei sobre o que você quer falar.
– Por que você fez aquilo?
– Fiquei entediado com a pornografia e quis me distrair.
– Não ficou não. Você acessou seiosmeteoricos.com.br treze vezes depois.
– Hã, foi pra uma pesquisa da faculdade.
– Não foi não. Você não acessa o site da faculdade desde o Windows Vista.
– Mas que saco.
– Então, eu só quero saber por que você f–
– Espera aí. Como você sabe disso? Não era pra você saber.
– Eu sou seu histórico, cara. Eu sei até quantas vezes você viu vídeos de pagode dos anos 90 no YouTube.
– Sim, mas isso era pra ser segredo até pra você. Não era?
– Você abriu mão de todos os segredos quando viu aquela janelinha cheia de texto legal e clicou em “eu aceito”.
– Que merda. Eu achava que o lance da Deep Web não aparecia no histórico.
– Deep Web?
– Sim.
– Rapaz o que você estava fazendo na Deep Web?!
– Mas eu achei que você soubesse!
– A Deep Web sequer é acessada pelo navegador, seu croquete de rodoviária. Você sabe disso! Você já buscou “como acessar a Deep Web”!
– Mas–mas se não é da minha ida à Deep Web, então do que você está falando?
– Do Ashley Madison!
– O quê?
– Ashley Madison. O maior site de traição do mundo.
– Tá de brincadeira, né?
– Já falei que não há segredos entre nós. Ou você acha que não percebi os sites de entrega de flores, os acessos ao perfil da Renata no Facebook, as compras de dois ingressos para o cinema e para o teatro, viagens para dois, metade da fatura do cartão de crédito gasta no motel?
– Eu não estou dizendo que o lance com a Renata não é sério. Estou dizendo que o lance do Ashley Madison é esquizofrenia da sua parte.
– Você acessou o Ashley Madison ontem. Claramente está pensando em trair a Renata. Seja homem e termine antes!
– Eu não acessei esse troço.
– Acessou sim.
– Mas que bosta. Já falei que não.
– Não adianta mentir. Tá registrado aqui que você acessou o Ashley Madison ontem mesmo às seis e vinte e sete da noite.
– O quê? Ontem pelas seis e meia eu ainda estava em reunião no trabalho. Cheguei em casa pós-hora do rush.
– Ué. Tem certeza? Que estranho. Por aqui que diz que o site foi acessado do seu notebook nesse horário.
– Sabe de uma coisa?
– O quê?
– A Renata estava aqui ontem de tarde.
– …
– …
seiosmeteoricos.com.br?
– Por favor.